Crítica: Logan

Lançamento: 2 de março de 2017 (2H 21M)
Direção: James Mangold
Nacionalidade: USA


Ano de 2029, Logan (Hugh Jackman) ganha a vida sendo chofer de limousine para sobreviver, junto com Charles Xavier (Patrick Stewart) e Caliban (Stephen Merchant), um dos poucos mutantes ainda vivo.Os três vivem no deserto, fronteira dos Estados Unidos com o México, longe de civilização, sem luxo, sem muitos eletrônicos, apenas com o básico. 

A grande mente de Charles Xavier hoje trabalha contra ele por conta de uma doença degenerativa que afeta o cérebro do professor, tendo então que ser medicado todos os dias por Logan e Caliban que revezam na tarefa de cuidar do ex mentor.

Sofrendo com os efeitos colaterais dos anos em que vinha lutando, cansado emocionalmente e fisicamente, Logan é procurado por Gabriela (Elizabeth Rodriguez), uma enfermeira mexicana que pede que ele ajude ela e sua filha, a chegarem vivas a Dakota do Norte. 

Em troca Gabriela daria a ele dinheiro, a quantia exata de que precisa para dar uma vida melhor a Charles.O ex-X-Men se recusa a ajudar a mexicana, não pretendendo voltar à ativa. Ao mesmo tempo que aparece para ele o mercenário Donald Pierce (Boyd Holbrook), interessado em “algo” que Gabriela possui. Laura (Dafne Keen), a X-23.
Wolverine é um grande marco de adaptação no universo cinematográfico dos quadrinhos, sendo um dos mutantes mais famosos e queridos do grande público. O "carcaju" que nunca foi ou quis ser um herói, que mantinha seus sentimentos guardados, pois sempre que expostos alguém próximo a ele morria. 

A cronologia de James Mangold nos mostra passado e presente, juventude e velhice, antiguidade e a novidade. O filme é a despedida de Jackman, foram 17 anos e 7 anos no papel.

Logan se desenvolve com criatividade, sincronia e sentimentos. Não vemos heróis, vemos uma família ou a tentativa dela. Com dor pelo passado e angustia por não saber o que esperar do futuro.

O relacionamento entre Logan e Professor é o ponto alto do filme. Os dois atores entregam tudo, a emoção nos diálogos e o desenrolar das ações de ambos são maravilhosas. Para quem acompanhou por esses anos o crescimento e desenvolvimento dos personagens vai se emocionar do começo ao fim. 

Não vemos menções ao passado dos principais mutantes.Laura é a 23ª tentativa de uma guerreira, violenta, rápida, esperta e cheia de mistério. Uma criança, uma menina, uma ótima atriz. Uma grande história, um grande filme. Sem piadas, sem heróis, sem uniformes, sem romances e sem cenas pós créditos.


NOTA:

🎬 🎬 🎬 🎬 🎬

Share this: