Crítica: Batman VS Superman

Em termos de mercado, sim, podemos dizer que o embate entre os dois maiores heróis das histórias em quadrinhos deveria ter alcançado números de bilheteria superiores aos 872 milhões de dólares, ficando atrás do universo Marvel no cinema e abaixo da marca de 1 bilhão, curiosamente, alcançada pelo último filme da trilogia de Nolan dirigindo o Cavaleiro das Trevas.

Porém, a percepção de quem via o filme e é fã da DC desde sempre me parece a mais verdadeira neste caso.


Para quem não viu ainda, Batman vs Superman é sombrio durante todo o tempo de tela, além disso, mostra a diferença de personalidade entre os dois heróis: a começar por um Superman que se sente deslocado em um mundo que não é o seu e com pessoas que questionam a natureza de seu poder. Do outro lado, um Batman amargurado, com percas que moldaram sua identidade e muito, mas muito, violento.

A Warner sofreu muito com as criticas por conta do tom pesado, mas, o que vimos no cinema foi exatamente a mesma coisa que se esperava da DC.

Talvez, muito provavelmente, a DC pagou o pato por ousar. Com os filmes da Marvel já estabelecidos, creio eu, que a maioria das pessoas foram aos cinemas esperando heróis que lutam mas fazem piada, que o único dilema é como salvar o mundo e voltar para sua amada, além de suas roupas coloridas e carismáticas.

Eis, ao meu ver, o grande erro. Não da para esperar da DC o mesmo que vemos na Marvel. São dois universos parecidos mas antagônicos. O Batman não pode e nem deve fazer piadas como faz o Homem de Ferro, assim como os dilemas do Superman devem ser mais profundos que os do Thor e assim por diante…

BVS foi um filme que entregou justamente o que tinha para entregar, mesmo com as cenas deletadas que ficaram para uma versão mais “adulta”, Ben Affleck e Henry Cavill entregaram atuações fidedignas dos personagens representados.

Basta ver a animação da HQ de Frankie Miller, que alçou o status do homem morcego ao que conhecemos hoje, para saber que o filme foi fiel aos acontecimentos.

Ainda assim, concordo com quem diz que a grande falha esteve na falta de pontos mais leves, sarcasmo, ironia, mas, a DC sempre foi assim. (O que tem mudado depois da repercussão do filme de Zack Snyder, mas isso é papo para outro post).

Isso sem contar na intervenção divina de Gael Gadot como Mulher Maravilha que deixou todos boquiabertos e alucinados pela expectativa do que está por vir no filme solo da amazona.

Para finalizar: BVS teve problemas, mas foi um filme fiel e entregou aquilo que a Warner e a DC tinham que entregar: Uma alternativa para quem deseja heróis crescidos e sem piadas por 2 horas de filme.

Lançamento: 24 de março de 2016 (2H 33M)
Direção: Zack Snyder
Gênero: Fantasia
Nacionalidade: USA
Nota: 🎬 🎬 🎬 🎬  

Share this: